Notícia

CRCTO promove Seminário de Gestão e traça metas para 2018

O Conselho Regional de Contabilidade do Tocantins (CRCTO) promoveu nesta quarta-feira, 13, o Seminário de Gestão com os membros da diretoria, Conselheiros efetivos e suplentes e delegados regionais. Na ocasião, foram repassadas as informações referentes ao “Seminário de Gestão e Planejamento Estratégico do Sistema Contábil”, realizado pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC), em Brasília no mês de fevereiro.

O presidente do CRCTO, Norton Thomazi, ressaltou que o CFC e o CRC’s vão trabalhar alguns pontos, como o alinhamento de linguagem. “ O que existe é um Conselho, uma profissão e precisamos valorizar nossa profissão”, ressaltou acrescentando que o COAF - Conselho de Controle de Atividades Financeiras - e a Lei 9295/46 devem ser discutidos com representantes de todo o Estado. “precisa articular para fazer a mudança”

Outro ponto a ser discutido é a unificação das normatizações referentes às delegacias regionais.

O vice-presidente de Desenvolvimento Profissional, Adriano Nepomuceno, explicou o trabalho da Câmara e ressaltou que, de 2014 a 2018, 9.694 pessoas foram contempladas com cursos realizados pelo CRCTO e, nesses eventos, foram arrecadados 7935,50kg de alimentos. “Conseguimos aproximar o Conselho do interior”, disse, lembrando que as capacitações ocorreram em 51 cidades.

Já o vice-presidente de Registro Profissional, Joademir Barbosa , ressaltou o número de profissionais e empresas registrados no Tocantins. Atualmente, são 3464, sendo 2875 contadores e 679 técnicos. Já empresas, são 398.

O vice- presidente de Fiscalização, Paulo José da Silva, disse que o trabalho da Câmara está pautado em uma fiscalização orientativa e punitiva. “Percebemos que os contadores desconhecem a legislação e que muitas pessoas estão chegando no mercado sem conhecimento. Nosso trabalho não é só fiscalizar, mas também orientar”.

O vice-presidente de Administração, João Gonçalo, também fez um panorama sobre a atuação da Câmara e as demandas por parte do CFC. “A nossa função é dar vida à parte funcional. Enxergar todo o conjunto”, disse, complementando que há muito a se fazer, por isso é preciso engajamento. “Não é só gerir para a classe, interagir e dar publicidade, mas é pensar também na sociedade.”

Para finalizar, Thomazi reforçou que o CRCTO precisa de todos juntos em um só objetivo “nossa valorização”.